Páginas

MENU

Menu Deslizante

PAI NOSSO

PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU, SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME, VEM A NÓS O VOSSO REINO, SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU. O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAÍ HOJE, PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO, NÃO NOS DEIXEI CAIR EM TENTAÇÃO MAS LIVRAI-NOS DO MAL. AMÉM.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

A LAGARTA E A SEDA

"Audiência com o Imperador chinês", tapeçarias em lã e seda da Manufatura de Beauvais (França),
séc. XVIII - Museu Hermitage, São Petersburgo (Rússia)

Deus, que povoou a natureza com seres e panoramas maravilhosos, quis deixar de
certo modo inconclusa a obra da Criação, à espera do concurso das criaturas
racionais para requintar-lhe a beleza.

Marcos Enoc Silva Antonio

Narra uma antiquíssima lenda que, por volta do ano de 2.650 antes de Cristo, a Imperatriz da China, Hsi Ling Shi, tomava chá à sombra de uma frondosa amoreira quando desta se desprendeu um pequeno casulo dourado. Levado pela brisa, veio ele cair exatamente no meio do prezado líquido, sobressaltando a imperatriz e perturbando o ambiente meditativo no qual ela se encontrava.

Passado o susto, quis tirar da xícara de porcelana o inesperado invasor. E, ao fazê-lo, admirou-se ao notar como o casulo desmanchava entre seus dedos, deixando pairar no tépido chá uma brilhante madeixa de filamentos.

Com delicadeza e paciência, a imperatriz foi desenovelando-a, e obteve como resultado um longíssimo fio de textura suave e resistente. Teve então uma ideia: reunir vários desses casulos para compor com eles um tecido. Ajudada por engenhosos servos, foi fazendo tentativas e mais tentativas até conseguir, certo dia, tecer com aquelas fibras um manto para seu esposo, Hwang-Di, o Imperador Amarelo, um dos lendários "Cinco Imperadores" da China, soberanos sábios e moralmente perfeitos. Foi assim inventada a seda!

* * *

Mais próxima do mitológico que da realidade histórica, essa legenda ressalta, entretanto, os atributos de nobreza, charme e distinção aos quais sempre esteve associado esse cobiçado tecido. E sublinha de forma poética o fato de terem sido os chineses os primeiros - e por muitos séculos, os únicos - a produzi-lo e comercializá-lo.

Com efeito, a tecelagem da seda foi durante milhares de anos um dos segredos mais bem guardados da História. Seria apenas no terceiro século da Era Cristã que a Índia conseguiria desvendar os mistérios da sericicultura, privando os chineses da exclusividade de fabricação.

No Ocidente, os comerciantes importavam avidamente da China aquele tecido lustroso e macio sem, entretanto, ter qualquer noção de como ele era produzido. Mas na época do imperador Justiniano I (527-565), as relações entre Bizâncio e a Pérsia, cada vez mais tensas, dificultaram a chegada de mercadorias do Oriente interrompendo a famosa Rota da Seda.

Conta-se que, então, o soberano decidiu enviar espiões ao Extremo Oriente para desvendar o arcano da sua fabricação. E estes, após inúmeras peripécias, conseguiram cumprir o delicado encargo, trazendo até Constantinopla alguns ovos do bicho-da-seda, acomodados em gomos de bambu para poderem resistir à longa e aventurosa viagem.

* * *

Qual terá sido a reação da refinada corte bizantina ao contemplar aquelas banais larvas que davam origem a um dos mais belos e nobres tecidos? Podemos imaginar os artistas e cortesãos, tomados pela surpresa, manifestando ruidosamente seu desapontamento.


 

 

 

 

Amostras de tecidos de seda contemporâneos, procedentes da Espanha, Indonésia e China.
Acima: Casaco masculino francês de inícios do séc. XVIII - Museu do Condado de Los Angeles (EUA)

Mas é igualmente legítimo supor que a esse primeiro movimento de desencanto tenha sucedido um ímpeto de admiração, ao constatarem como Deus, que povoou a natureza com seres e panoramas maravilhosos, quis ocultar a seda no rústico casulo de uma lagarta, ou a púrpura na prosaica mucosa de certos caramujos marinhos. Assim, dir-se-ia ter Ele deixado de certo modo inconclusa a obra da Criação, à espera do concurso das criaturas racionais para, por meio delas, requintar-lhe a beleza.

(Revista Arautos do Evangelho, Agosto/2011, n. 116, p. 50-51)

Fonte: Arautos do Evangelho

DESEJO À VOCÊ


Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém