Páginas

MENU

Menu Deslizante

PAI NOSSO

PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU, SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME, VEM A NÓS O VOSSO REINO, SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU. O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAÍ HOJE, PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO, NÃO NOS DEIXEI CAIR EM TENTAÇÃO MAS LIVRAI-NOS DO MAL. AMÉM.

terça-feira, 7 de abril de 2015

QUANDO É NECESSÁRIO CORRIGIR ALGUÉM, TAMBÉM É PRECISO TER MANCIDÃO!

Algumas vezes é necessário corrigir um insolente com palavras ásperas.

Diz a Sagrada Escritura: “Irai-vos, mas sem pecar”. Às vezes é lícito ficar irado, mas sem pecar e aí é que está a dificuldade.

Teoricamente falando, pode parecer em certos momentos conveniente falar ou responder com aspereza para fazer alguém entrar em si. Na prática é muito difícil conseguir isto sem uma falta nossa.

O caminho seguro é chamar a atenção ou responder com brandura e estar atento para não se deixar levar pela raiva. “Eu nunca me deixei conduzir pela ira – dizia São Francisco de Sales – sem que logo me tenha arrependido”.

Quando nos sentimos ainda perturbados, como disse acima, o caminho mais seguro é calar, reservando a resposta ou admoestação para um momento mais oportuno, quando o coração estiver mais sossegado.

Devemos especialmente praticar a mansidão ao sermos corrigidos por nossos superiores ou amigos. Escreve São Francisco de Sales: “Aceitar de bom grado as repreensões é sinal que amamos as virtudes contrárias aos defeitos de que somos corrigidos. É um grande sinal de progresso na perfeição”.

É preciso também usar de mansidão para convosco mesmos. O demônio mostra-nos como coisa louvável o ficar com raiva de nós mesmos quando cometemos uma falta.

Mas não; isso é tentação dele que se esforça para nos inquietar a fim de que não possamos fazer nenhum bem. Dizia São Francisco de Sales:

“Tende por certo de que todos os pensamentos, que nos trazem inquietação, não vêm de Deus, príncipe da paz. Eles vêm ou do demônio ou do amor próprio ou da estima desregrada que temos de nós mesmos.

São essas três fontes de onde brotam todas as nossas perturbações. Por isso, quando aparecem pensamentos que nos inquietam, é necessário rejeitá-los e desprezá-los logo”.

A mansidão também nos é muito necessária quando temos que repreender
os outros.

Admoestações feitas com zelo amargo causam frequentemente mais prejuízo do que proveito, principalmente estando perturbada a pessoa a ser corrigida. Deve-se então retardar a correção e esperar a oportunidade em que esteja acalmado o fogo da raiva.

Deixemos, ainda, de corrigir os outros, quando estamos de mau humor. Nesse estado, a admoestação será sempre feita com aspereza. A pessoa, vendo-se repreendida desse modo, fará pouco caso da admoestação, por ser feita
sem paixão.

Isso vale tratando-se do bem do bem do próximo. No que se refere ao nosso proveito, mostremos que amamos a Jesus Cristo, suportando com paz e alegria os maus tratos, as injúrias e os desprezos.

Fonte: retirado do livro “A prática do amor a Jesus Cristo” de Santo Afonso de Ligório.

Fonte: Associação apostolado do Sagrado Coração de Jesus

DESEJO À VOCÊ


Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém