Páginas

MENU

Menu Deslizante

PAI NOSSO

PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU, SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME, VEM A NÓS O VOSSO REINO, SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU. O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAÍ HOJE, PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO, NÃO NOS DEIXEI CAIR EM TENTAÇÃO MAS LIVRAI-NOS DO MAL. AMÉM.

sábado, 9 de maio de 2015

MAIO COM MARIA: DIA 09 - Nosso amor para com Maria

Feliz, feliz aquele que vos ama, ó Maria, Mãe dulcíssima! S. João Berchmans, da Companhia de Jesus, costumava dizer: Se amo a Maria, estou certo da minha perseverança e de Deus obtenho tudo o que quiser. Renovava por isso sem cessar este propósito: quero amar a Maria, quero amá-la sempre. Dizia-o seguidamente, a sós e baixinho. - Oh! Como esta boa Mãe excede em amor a todos os seus filhos! Amem-na estes quanto puderem, sempre serão vencidos pelo amor que lhes consagra Maria, observa Pseudo-Inácio, mártir.

Cheguem a amá-la como um S. Estanislau Kostka, tão terno em seu amor para com esta Mãe. Dela falando, abrasava os corações de quantos o ouviam. Imaginaram-se novos títulos e novas palavras em seu louvor. Não começava trabalho algum, sem primeiro pedir-lhe a bênção voltado para alguma de suas imagens. Ao recitar o ofício, o rosário, ou outras orações em sua honra, com tanta cordialidade o fazia, como se estivesse falando com a Virgem, face a face. Os sons da Salve, Rainha, afogueavam-lhe as faces em santo amor. Visitando certa vez com um padre jesuíta uma imagem da Santíssima Virgem, perguntou-lhe o companheiro se também a amava. - Ó meu padre - respondeu o Santo - que mais posso dizer-vos? É minha Mãe! E tanta ternura notava-se então, diz o padre, na sua voz e no seu semblante, que parecia menos um jovem do que um anjo a falar do amor de Maria Santíssima.

Cheguem a amá-la como um Beato Hermano, que a chamava de esposa amada e por Maria em retorno foi honrado com o título de esposo; como um S. Filipe Néri, a quem só o pensar em Maria já consolava, e por isso chamava-lhe suas delícias. Que a amem como um S. Boaventura, o qual, para testemunhar-lhe a ternura de seu afeto, não só a chamava de Senhora e Mãe, senão também de seu coração e de sua alma. Abrasado em santo amor, dizia-a até roubadora dos corações. Pois não roubaste meu coração, minha boa Mãe? perguntava-lhe então.

Chamem-na de sua namorada, como um S. Bernardino de Sena, Todos os dias ia visitar-lhe uma das imagens devotas, para em ternos colóquios entreter-se com a sua Rainha. Se lhe perguntavam aonde ia diariamente, respondia andar visitando sua namorada.

Cheguem a querê-la tal como um S. Luís Gonzaga, tão abrasado em seu amor que, em lhe ouvindo pronunciar o nome, tinha do amor as chamas no coração e os rubores na face.

Por que não amá-la como um S. Francisco Solano? Em santa simplicidade (que ao mundo parece loucura) punha-se ele a cantar, ao som de um instrumento de música, diante de alguma imagem da Senhora. Alegava que, a exemplo dos apaixonados no mundo, queria fazer "uma serenata" à sua diletíssima Rainha.

Tenham-lhe a mesma ternura de amor com que a têm amado tantos de seus servos, que já nem sabiam o que mais fazer como prova do muito que lhe bem-queriam. Jerônimo de Trexo, padre da Companhia de Jesus, exultava de júbilo ao chamar-se escravo de Maria. Em sinal desta escravidão ia visitá-la muitas vezes em algumas de suas igrejas. Em chegando à igreja, primeiramente derramava lágrimas de um terno amor à Virgem. Depois beijava o pavimento muitas e muitas vezes, com grande amor, considerando que aquela era a casa da sua Senhora. Seu confrade, Padre Diogo Martínez, que pela devoção a Maria Santíssima nas suas festas era levado em espírito ao céu pelos anjos, para ver com quanta honra eram elas aí celebradas, este dizia: Desejara ter todos os corações dos anjos e dos santos para com eles amar a Maria; desejara ter as vidas de todos os homens para oferecê-las todas ao amor de Maria.

Amem-na como um Carlos, filho de S. Brígida. Nada o consolava tanto neste mundo - dizia - como saber que Maria era tão amada por Deus. Acentuava que de bom grado sofreria todos os tormentos, para impedir que perdesse Maria um só grau de sua grandeza. Que, caso lhe pertencera a grandeza da Virgem Santíssima, a tudo renunciaria por ser ela sumamente mais digna do que ele. Desejem também dar a vida em protestação do seu amor para com Maria, como o desejava Afonso Rodríguez. Cheguem finalmente a esculpir-se com agudos ferros sobre o peito o nome amável de Maria, como fizeram Francisco Binânzio, religioso, e Radegundes, esposa do rei Clotário. Cheguem também com ferros em brasa a imprimir sobre a carne o mesmo amado nome, para que se conserve mais impresso e mais durável.

        Levados por amor, assim fizeram os servos de Maria; Batista Arquinto e Agostinho de Espinosa, ambos da Companhia de Jesus.

        Façam, pois, ou procurem fazer quanto é possível a um esposo amante que pretende, quanto pode, dar a conhecer o seu afeto à esposa querida, jamais conseguirão amar a Maria tanto quanto ela os ama. Sei, ó minha Rainha, exclamava S. Pedro Damião, que de quantos vos amam sois a mais amante, e que vosso amor por nós não se deixa vencer por nenhum outro amor. Estava uma vez ao pé de uma imagem de Maria o Venerável Afonso Rodríguez, da Companhia de Jesus. Abrasado de amor para com a Virgem Santíssima, lhe disse: Minha Mãe amabilíssima, bem sei que vós me amais; mas vós não me quereis tanto quanto eu vos amo. Então, Maria, como que ofendida em seu amor, lhe respondeu: Que dizes, Afonso, que dizes? Oh! quanto é maior o meu amor por ti do que o teu por mim! Sabe, lhe disse, que do meu amor ao teu há mais distância que do céu à terra.

Tem, pois, razão S. Boaventura ao exclamar: Bem-aventurados aqueles que têm a dita de ser fiéis servos e amantes desta Mãe amantíssima! Sim, porque esta gratíssima Rainha não admite que em amor a vençam os seus devotos servidores.Maria, imitando nisto a Nosso Senhor Jesus Cristo, com seus benefícios e favores dá a quem a ama o seu amor duplicado. Exclamarei, pois, com o inflamado S. Anselmo: Sempre arda por vós o meu coração, e toda a minha alma se consuma no vosso amor, ó Jesus, meu amado Salvador, ó Maria, minha amada Mãe. Concedei, pois, ó Jesus e Maria, a graça de amar-vos, já que sem a vossa graça não posso fazê-lo. Concedei à minha alma pelos vossos merecimentos, não pelos meus, que eu vos ame quanto vós mereceis. Ó Deus tão amante dos homens, vós pudestes morrer pelos vossos inimigos. E a quem vo-la pede, poderíeis negar a graça de amar a vós e a vossa Mãe?

A Virgem Maria consola uma pastorinha moribunda que a honrou com humildes gestos durante sua vida

Conta o Padre Auriema que uma pastorinha de ovelhas tinha muito amor a Maria Santíssima. Todas as suas delícias eram ir a uma capela da Virgem, que estava no monte, e aí entreter se sossegadamente com sua boa Mãe, enquanto pastavam as ovelhas. E porque a pequena estátua da Mãe de Deus estava sem enfeite algum, pôs-se a fazer-lhe um manto; com suas pobres mãozinhas. Um dia, colhendo do campo algumas singelas flores, delas compôs uma grinalda. Depois, subindo ao altar, a pôs  na cabeça da imagem, dizendo: Minha Mãe, eu quisera pôr-vos na cabeça uma coroa de ouro, mas não posso porque sou pobre. Assim recebei de mim esta pobre coroa de flores; aceitai-a em sinal do amor que vos tenho. Com estes e semelhantes obséquios buscava a piedosa pastorinha servir e honrar a sua amada Rainha. Ora, vejamos agora como a boa Mãe recompensou as visitas e o afeto desta sua filha.
Caiu ela enferma e chegou a termos de morrer. Sucedeu que dois religiosos passando por aquele lugar, e cansados da viagem, se puseram a descansar debaixo de uma árvore. Um dormia e o outro estava acordado. Mas ambos tiveram a mesma visão. Viram um grupo de belíssimas virgens, e entre elas estava uma que em beleza e majestade excedia a todas. A esta perguntou um dos religiosos: Quem sois vós, Senhora, e aonde ides? - Eu - respondeu a Virgem - sou a Mãe de Deus e vou com estas santas virgens visitar aqui na aldeia uma pastorinha moribunda, que muitas vezes me visitou a mim. Assim disse e desapareceu. Disseram então aqueles bons servos de Deus: Vamos nós também vê-la! Prepararam-se; e, chegando à casa onde estava a pastorinha moribunda, entraram na pobre choupana e ali a viram deitada sobre um pouco de palha. Saudaram-na; ela fez o mesmo e lhes disse: Irmãos, rogai a Deus que vos faça ver quem me está assistindo. Logo ajoelharam-se eles e viram a Mãe de Deus que estava ao lado da pastorinha com uma coroa na mão, e a consolava. Eis que as virgens começaram a cantar, e ao som daquele suave canto saiu do corpo a bendita alma da pastorinha. Maria colocou-lhe então a coroa na cabeça, tomou-lhe a alma e levou-a consigo ao paraíso.

Oração

Ó doce Soberana, vós, conforme a expressão de S. Boaventura, arrebatais os corações dos que vos servem, cumulando-os de vossa ternura e liberalidade. Eu vos suplico: arrebatai-me também o meu pobre coração que muito deseja amar-vos. Pela vossa beleza, ó minha Mãe, atraístes o vosso Deus, ao ponto de fazê-lo descer do céu à terra; e eu viverei sem vos amar? Não; antes vos digo com vosso amante filho João Berchmans: "Não me darei repouso, enquanto não tiver obtido amor terno e constante a vós, ó minha Mãe", que com tanta ternura me tendes amado, ainda quando eu não vos amava. E que seria de mim, se vós, ó Maria, não me tivésseis amado e alcançado tantas misericórdias? Se, pois, me amastes quando que vos amo? Sim, amo-vos, ó minha Mãe, e quisera ter um coração capaz de vos amar por todos os infelizes que não vos amam. Quisera ter uma língua capaz de louvar-vos por mim línguas, para fazer conhecer a todo mundo a vossa grandeza, a vossa santidade, a vossa misericórdia, e o amor com que amais os que vos amam. Se tivera riquezas, todas quisera empregar em vos honrar; se tivera súditos, todos quisera fossem cheios de amor para convosco; quisera enfim sacrificar pelo vosso amor e glória, se fosse mister, até a minha vida! - Amo-vos, pois, ó minha Mãe; mas ao mesmo tempo receio que vos não ame, porque ouço dizer que o amor faz os que amam semelhantes à pessoa amada. Devo então crer que bem pouco vos amo, vendo-me tão longe de parecer convosco. Vós sois tão pura, eu tão imundo! Vós tão humilde, eu tão soberbo! Vós tão santa, eu tão mau! Mas isto, ó Maria, é o que vós haveis de fazer: já que me tendes tanto amor, tornai-me semelhante a vós. Para mudar os corações, tendes todo o poder; tomai, pois, o meu e mudai-o. Conheça o mundo o que podeis em favor dos que amais. Tornai-me santo e fazei-me digno filho vosso. Assim espero, assim seja.

(Livro: Glórias de Maria - Santo Afonso Maria de Ligório)

Fonte: VAS HONORABILE

DESEJO À VOCÊ


Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém