Páginas

MENU

Menu Deslizante

PAI NOSSO

PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU, SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME, VEM A NÓS O VOSSO REINO, SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU. O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAÍ HOJE, PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO, NÃO NOS DEIXEI CAIR EM TENTAÇÃO MAS LIVRAI-NOS DO MAL. AMÉM.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

SÃO FRANCISCO DE ASSIS FOI UMA ALMA DE ORAÇÃO E CONTEMPLAÇÃO…–Parte II

Conheça os frutos das Orações de São Francisco - Parte II

A Oração de São Francisco produziu frutos magníficos...

Continuação do post: São Francisco foi uma alma de Oração e Contemplação… -Parte I

A oração contínua do nosso Santo produziu frutos abundantes e preciosos.

Ela acendera e mantinha sem cessar a imensa fogueira que lhe devorava o coração. “No fogo, o amor me lançou”, cantava Francisco.

Apesar dos seus esforços, nem sempre conseguia dominar a santa paixão que fervia dentro de si; por vezes, as pessoas viam uma chama que revelava o segredo da alma.

O Nome de Deus fazia-o estremecer: quando o ouvia pronunciar, não podia conter a emoção; o rosto corava; uma força misteriosa fazia-o mergulhar num recolhimento profundo.

O amor prova-se com obras; enquanto não ultrapassar a esfera das ternuras sensíveis, pode-se duvidar justificadamente da sua autenticidade.

A caridade perfeita torna a vontade do homem semelhante à de Deus: é esse o seu caráter essencial. São Francisco não o desconhecia; a sua única preocupação era realizar sem demora aquilo que o Senhor dele esperava.

Se tinha renunciado à vida mundana, se tinha, com o coração dilacerado partido da casa paterna, se tinha contraído com a dona Pobreza uma sublime aliança, não fora para obedecer às ordens do Alto? Como Cristo, Francisco podia dizer: “O meu alimento é fazer a vontade d’Aquele que Me enviou e realizar a sua obra”.

Francisco levou a aceitação da Vontade divina até o ponto culminante, o abandono total nas mãos da Providência. – Durante uma das suas doenças, teve grandes sofrimentos.

O religioso que estava ao lado do catre a cuidar dele mostrava uma compaixão exageradamente humana. “Meu pai – dizia – a provação não está a ser dura demais? Peça a Deus que o trate com menos rudeza”.

Estas palavras feriram o Santo na delicadeza do seu amor: deu um brado de dor e indignação.

Estranhava que não se reconhecesse no sofrimento um dom do Pai celeste, que está atento ao bem dos seus filhos.

Francisco colheu outro fruto da oração: a humildade.

Esta virtude fundamental é o sinal seguro da intervenção divina: quando uma alma entra em contato com Deus pelo toque da graça mística, conhece por experiência o nada da nossa miserável natureza.

Os Santos vivem como que esmagados pela noção do seu nada; quem não experimentou este sentimento nunca penetrou verdadeiramente na oração passiva.

Francisco estava profundamente unido a Deus; uma humildade prodigiosa lhe irradiava da alma.

Nos seus percursos apostólicos, as populações acorriam à sua passagem. Queriam vê-lo, ouvi-lo, receber-lhe a bênção; procuravam tocar-lhe a orla da túnica. Era venerado em vida como se veneram as relíquias dos Santos.

Ora, um dia, o entusiasmo popular manifestou-se com mais ardor do que o habitual e Francisco passou insensível por entre as ovações. Todavia, o seu companheiro, temendo que alguma tentação de vaidade o assaltasse, sentiu-se no dever de o avisar.

O Santo tranquilizou-o: estas homenagens, explicou, não podiam deter-se no nada de sua pessoa; dirigiam-se a Deus, que se dignava servir-se da sua miséria: aquilo só lhe servia para se humilhar ainda mais.

Assim compreendidas, aquelas aclamações não lhe pareciam exageradas; pareciam-lhe
até insuficientes.

Protestava quase sempre contra os elogios que lhe eram dirigidos. “Não se deve canonizar um homem antes da morte. – dizia com vivacidade – Ainda posso cair em pecado”.

Por outro lado, as manifestações de veneração faziam-no sofrer. Pensando que não as merecia, feriam-no na sua retidão.

Era tal, com efeito, a sua lealdade, que nem sequer suportava a sombra do fingimento. – “Ah! Vocês pensam que sou Santo!, exclamava um dia em que lhe tinham servido um frango por causa de seu estado de saúde. Os Santos mortificam-se; eu, pelo contrário, comi frango hoje”.

Continua…

Fonte: retirado do livro “São Francisco de Assis” do Rev. Pe. Thomas de Saint-Laurent.

Fonte: Associação Apostolado do Sagrado Coração de Jesus

DESEJO À VOCÊ


Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém